Aprovado horário das 7 às 14 horas para o Judiciário de Rondônia

A partir do dia 1º de agosto, o Judiciário de Rondônia irá funcionar das 7 às 14 horas. A proposta de expediente de sete horas ininterruptas foi aprovada em sessão administrativa do tribunal pleno, nesta segunda-feira, dia 26. A resolução entra em vigor junto com o Plano de Carreira, Cargos e Salários dos servidores do Tribunal de Justiça de Rondônia.

O presidente do TJRO, desembargador Cássio Rodolfo Sbarzi Guedes, usou como justificativa para aprovar a medida, o bem-estar do servidor e a economia para a instituição. De acordo com estudo de averiguação de impacto, a redução de gastos com o novo horário chegará a R$ 4 milhões anuais, o que representa 34% dos recursos gastos. Além da economia, a medida teve a aprovação de 90% dos servidores, averiguada por meio de pesquisa no site do TJ. “O resultado de nossa consulta aos servidores foi fundamental para encaminhar o processo de adoção do novo horário”, explicou Cássio Guedes.

Segundo o presidente, o novo horário de expediente do Tribunal não prejudicará os jurisdicionados, uma vez que a produtividade no Judiciário não será reduzida, e a sociedade, como um todo, continuará, recebendo “excelente atendimento”.

Estudo - Segundo estudo realizado pela Secretaria Administrativa do TJRO, a  implantação de expediente único no Poder Judiciário atende à economia de recursos materiais e naturais (conforme recomendação do Conselho Nacional de Justiça) e visa a subsidiar a regulamentação do horário de trabalho,  disposto na Resolução 88/2009, também do CNJ. Essa medida corresponde à perspectiva "orçamento", registrada no Planejamento Estratégico do TJRO, com o objetivo de combater o desperdício com a manutenção do custeio da máquina pública.

Economia – A economia de 34% programada para os próximos 12 meses, diz respeito às reduções na utilização de materiais elétricos, de limpeza e higienização, copos descartáveis, café e insumos, água potável e mineral, além de energia elétrica e a redução nas despesas com o auxílio transporte. Tais recursos poderão ser investidos conforme prioridade da administração, como por exemplo, na expansão do Poder Judiciário como a contratação de novos servidores ou na instalação de comarcas do interior do estado.

O meio ambiente também será beneficiado, pois com a jornada de sete horas haverá economia de recursos naturais, pois, além da diminuição do consumo de energia elétrica e água, há impacto positivo sobre a emissão de gás carbônico na atmosfera, com exclusão da necessidade de mais uma viagem de casa ao tribunal por servidores e magistrados.

Além desses impactos, a jornada de sete horas, registra o estudo, trará mais qualidade de vida às pessoas que trabalham no Poder Judiciário de Rondônia e seus respectivos familiares, visto que sem o segundo turno de expediente haverá mais tempo para outros afazeres, como cursos de aperfeiçoamento e atividades familiares. Isso, conforme a moderna ciência administrativa influi diretamente na qualidade do serviço realizado e no rendimento do trabalho para a instituição e para a sociedade.

Fonte:TJRO