Amagis inaugura estúdio de vídeo e homenageia o ministro Paulo Medina

A Diretoria da Amagis inaugurou nesta quarta-feira, 1º, o estúdio de vídeo da Associação, que recebeu o nome de Espaço Ministro Paulo Medina, ex-ministro do STJ, ex-presidente da Amagis e da AMB, falecido em abril de 2021, aos 79 anos. 

Presidente da Amagis junto aos familiares do Ministro Paulo Medina
no descerramento da placa que nomeia o estúdio


O estúdio fica na sede da Associação, em Belo Horizonte, e conta com ilha de edição e câmeras com resolução 4k. No espaço, serão gravados conteúdos institucionais e entrevistas com magistrados e magistradas, além do programa Pensamento Jurídico, produzido pela Amagis. 

Além de expandir as produções feitas para divulgar o trabalho da Magistratura mineira, a inauguração do estúdio da Amagis proporciona mais autonomia e dinâmica à Associação e gera economia, uma vez que os custos das produções serão reduzidos, pois não será mais necessário contratar empresa terceirizada para efetuar o trabalho.

Homenagem
O estúdio recebeu o nome de Espaço Ministro Paulo Medina, em homenagem ao ex-ministro do STJ, falecido em abril de 2021, aos 79 anos. Paulo Medina foi um líder que ajudou a construir uma Magistratura forte e pujante. Presidiu a Associação dos Magistrados Mineiros entre os anos de 1994 a 1995. De 1996 a 1997 foi presidente da Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB). Em seguida, de 1997 a 1999, presidiu a Federação Latino-Americana de Magistrados. Em 2001, foi nomeado ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ).
O ministro nasceu em Rochedo de Minas, em Minas Gerais, no dia 13 de junho de 1942. Formou-se em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora em 1965. Foi vereador do município de Rochedo de Minas de 1961 a 1965 e advogou de 1966 a 1968, quando foi aprovado no concurso público para ingresso na Magistratura mineira. Atuou nas comarcas de Ervália, Camanducaia, Santos Dumont, Conselheiro Lafaiete e Belo Horizonte. Em 1985, ingressou no Tribunal de Alçada e tornou-se desembargador do TJMG em 1991.

Familiares do Ministro Paulo Medina na inauguração do estúdio

O presidente da Amagis, desembargador Alberto Diniz, lembrou que uma das obrigações de quando assumiu a Associação era cuidar bem da parte financeira. "Achamos por bem construir este espaço que vai valorizar ainda mais a magistratura, com equipamentos de alta tecnologia, câmeras robóticas e operacionalizadas por computadores, que estarão à disposição da Associação. Conseguimos montar o Espaço Paulo Medina, que além de homenagear esse grande magistrado, é uma obra da casa, onde o magistrado vai poder ser entrevistado, ter a mídia à sua disposição e continuar fazendo o que de bom a comunicação social da Amagis faz, valorizando a magistratura mineira”, destacou o presidente. 

O 1º vice-presidente do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), desembargador José Flávio de Almeida, representou o presidente do Tribunal, desembargador Gilson Soares Lemes. Segundo ele, com o estúdio, a Amagis fica ainda mais forte para atuar em defesa das prerrogativas da Magistratura, com um espaço onde todos possam se manifestar sempre em defesa da classe. “A homenagem ao ministro Paulo Medina vem prestar uma grande e merecida homenagem a ele, à sua história de vida e dedicação pela Magistratura”, disse.

O presidente do Tribunal de Justiça Militar de Minas Gerais (TJMMG), desembargador Fernando Armando Ribeiro, avaliou que a inauguração do estúdio simboliza mais uma conquista da Associação e uma concretização da comunicação da Amagis, que tem sido tão marcante e importante para o Judiciário. “Já tive a honra de participar de várias entrevistas e debates na Associação, e acredito que esse é mais um espaço operacional que simboliza a eficiência da comunicação de nossa Associação e que atuará em prol da magistratura”, destacou.

O ex-presidente da Amagis e atual vice-presidente do TRE-MG, desembargador Maurício Soares, e o vice-presidente Administrativo da Amagis, juiz Luiz Carlos Rezende e Santos, visitaram as instalações do estúdio antes da inauguração. Maurício Soares ressaltou que a comunicação, hoje em dia, é imprescindível em qualquer setor. "Muito bem faz a Amagis, com seu presidente Alberto Diniz, de criar esse espaço para divulgar e comunicar o associado o trabalho que é feito pela Associação em prol da Magistratura", afirmou.




 Juiz José Martinho, juiz Luiz Carlos Rezende e Santos, desembargador Maurício Soares e desembargador Alberto Diniz

Na avaliação da juíza Cristiana Gualberto, diretora de Comunicação da Amagis, a criação do estúdio, no qual será gravado o Programa Pensamento Jurídico, qualificará ainda mais a divulgação das iniciativas dos magistrados mineiros em suas comarcas e agilizará a divulgação de informações relacionadas à atuação da Amagis. “A comunicação cumpre o importante papel de esclarecer à sociedade sobre o trabalho dos magistrados na promoção da Justiça e pacificação social”, disse.

O ex-presidente da Amagis e desembargador Reynaldo Ximenes afirmou que a homenagem prestada ao ministro Paulo Medina é um reconhecimento à sua importância para a Magistratura nacional e ao seu trabalho abnegado em prol da valorização da classe. De acordo com o desembargador, Paulo Medina soube suportar as dificuldades que o Magistratura enfrentou ao longo do tempo e reagir no momento propício."Neste dia de forte emoção, relembro a ocasião em que, durante uma assembleia, o então juiz Paulo Medina levantou sua voz e, com um discurso enfático, empolgou todos os magistrados ali presentes para que a nossa classe fosse tratada com mais dignidade. Por isso, considero que existe uma Magistratura antes e outra depois de Paulo Medina. E hoje estamos aqui, seguindo seus passos", destacou Reynaldo Ximenes.

Segundo o presidente da Associação Mineira do Ministério Público (AMMP), Enéias Xavier Gomes, a data de hoje é muito importante para a Magistratura mineira e, “até brasileira, uma vez que a Amagis é referência para todos os magistrados do Brasil. Esse é um espaço de produção de conhecimento e de divulgação daquilo que a Magistratura tem feito em prol da sociedade, além de carregar o nome de um magistrado que muito honrou esta Casa e toda a Magistratura brasileira”, afirmou.



Agradecimento
O filho do ministro e ex-presidente da Amagis Paulo Medina, Roberto Medina, disse que é uma alegria representar a família nesta homenagem singular feita a seu pai. “Hoje me lembro de quando ele começou a sua campanha para presidência da Amagis e me chamou para acompanhá-lo por todo o Estado de Minas Gerais, levando aos juízes suas propostas e o que desejaria fazer pela Amagis”, lembrou Roberto Medina. O filho de Paulo Medina destacou ainda a importância da família e da vida associativa para o trabalho do magistrado, o que, segundo ele, trazem força, calmaria e esperança. “Um juiz sozinho não é nada sem a família, e a Amagis também cumpre essa função”, disse.

Presenças
Também estiveram presentes na inauguração o vice-presidente Sociocultural Esportivo da Amagis, juiz Jorge Paulo dos Santos; o diretor-tesoureiro da Amagis, desembargador Nicolau Masselli; a vice-presidente dos Aposentados e Pensionistas, juíza Marli Maria Braga Andrade; a juíza Aldina Soares, representando o corregedor-geral de Justiça, desembargador Agostinho Gomes de Azevedo; o desembargador Carlos Augusto de Barros Levenhagen, ex-presidente da Amagis; o desembargador Antônio Armando dos Anjos; os juízes José Martinho Nunes Coelho e Fernando Humberto dos Santos; o diretor de Comunicação Institucional do TJMG, Sérgio Galdino; e os familiares do homenageado, representado pela viúva Ângela Medina, pelo filho Roberto Medina, pela filha Carla Medina, a neta Paula Nacif, as irmãs Maria Helena e Vera Medina, as sobrinhas Patrícia e Marina Medina, e a prima Angélica da Costa. 

Houve restrição do número de convidados em função dos protocolos de contenção da Covid-19. 

Fonte: Reprodução/Amagis