Prevenção das 5 patologias mais comuns no TJMMG

Levantamento realizado pelo Comitê Gestor Local de Atenção Integral à Saúde de Magistrados e Servidores da Justiça Militar de Minas Gerais, com base nos códigos da Classificação Internacional de Doenças e Problemas Relacionados à Saúde – CID-10 constantes dos exames periódicos e do atestados médicos e odontológicos apresentados para fins de licença-saúde no ano de 2019, identificou as cinco doenças mais incidentes no Tribunal.

Abaixo, tenha acesso a uma série de conteúdos que lhe permitirão conhecê-las melhor e preveni-las:

 

1ª) DORSALGIA

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, dorsalgia é a dor sentida na região do dorso, localizada entre a região abaixo dos ombros até o final das costelas.

A referida entidade lançou uma cartilha sobre a coluna para pacientes, que esclarece dúvidas sobre as dores e doenças que acometem essa região, sua gravidade, os fatores de risco para o seu aparecimento, inclusive relacionados ao trabalho, e os tratamentos mais indicados. Confira:

Cartilha

1ss

Quem trabalha o dia inteiro em pé, sentado, se abaixando o tempo todo ou carregando peso deve redobrar a atenção para não desenvolver dores nas costas. É o que nos mostra este esclarecedor vídeo produzido pelo Tribunal Superior do Trabalho:

Atitudes simples e dicas de postura incorporadas à sua rotina podem fazer toda a diferença na prevenção de dores nas costas e na qualidade de vida. Para descobrir algumas delas, escute este episódio do podcast “Spinecast”, gravado pelo ortopedista e cirurgião de coluna Dr. Antenor Mazzuia:

Podcast - Clique aqui

12w

Nesta série de vídeos abaixo, o Dr. Alexandre Mota, fisioterapeuta e osteopata, autor do livro digital “Segredos da coluna sem dor”, ensina técnicas simples para atacar as possíveis origens da dorsalgia, como: liberar, através de massagem circular ou de pequena pressão, os pontos de tensão presentes no músculo subescapular; ampliar a movimentação das costelas por meio de exercícios respiratórios; e alongar e relaxar o músculo serrátil anterior:

 

2ª) DENGUE

Embora todos tenham conhecimentos básicos sobre esta doença e muito se fale sobre ela nos meios de comunicação e nas campanhas de saúde pública, a dengue continua acometendo grande número de pessoas todos os anos.

O vídeo produzido pela Tribunal Superior do Trabalho traz um excelente resumo sobre essa patologia, esclarecendo sobre a forma de transmissão, os problemas urbanos que favorecem a proliferação do mosquito, a distinção entre as dengues clássica e hemorrágica, os sorotipos do vírus, o diagnóstico, os cuidados que paciente infectado deve ter, a vacina e seus riscos, as consequências sociais da doença, dentre outros tópicos. Confira:

Outra alternativa, para quem busca um compilado dos aspectos fundamentais da dengue, como sintomas, causas, tratamento e prevenção, é a leitura do conteúdo disponibilizado pelo Ministério da Saúde em seu portal:

123d

A Escola Nacional de Administração Pública, em parceria com Ministério da Saúde, Ministério do Planejamento e Universidade de Brasília/Laboratório Latitude, também produziu um vídeo bastante útil, enfocando a prevenção e o combate ao Aedes aegypti no local de trabalho e as características do mosquito:

Agora que já aprendeu um pouco mais sobre a dengue, que tal testar seus conhecimentos, respondendo ao quiz produzido pelo Governo do Estado do Rio de Janeiro?

Quiz - Clique Aqui 

09set00

3º) SINUSITE

Sinusite é a inflamação das mucosas dos seios da face, região do crânio formada por cavidades ósseas ao redor do nariz, maçãs do rosto e olhos. Saiba mais sobre este problema clicando no artigo abaixo, do Dr. Drauzio Varella, disponibilizado na Biblioteca Virtual em Saúde do Ministério da Saúde:

14r

 

A Dra. Ana Escobar, médica formada pela USP, pediatra e consultora do programa Bem Estar da TV Globo, ensina como identificar a sinusite e dá três dicas simples para evitá-la. Veja:

Vimos que a higiene nasal é fundamental para a prevenção da sinusite. Diversos estudos já comprovaram a relação entre a exposição a poluentes gasosos nos grandes centros urbanos e a maior incidência de sintomas nas vias aéreas superiores, como obstrução nasal, espirros, coriza e tosse, além de quadros de rinite alérgica e sinusite. Pensando nisto, a Professora Tereza Cristina Silva Brant, do Departamento de Fisioterapia da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Terapia Ocupacional da UFMG, lançou um folder em formato digital sobre a limpeza do nariz com soro fisiológico em adultos. Confira:

Clique aqui

03set

Por fim, confira este episódio, de apenas 5 minutinhos, do programa de rádio “Saúde com Ciência”, produzido pelo Centro de Comunicação Social da Faculdade de Medicina da UFMG, que aborda a relação entre a rinite e a sinusite, bem como as semelhanças e diferenças entre os dois quadros, que costumam ser confundidos:

Podcast - Clique aqui

 04set

4º) CONJUNTIVITE

A conjuntivite é uma inflamação da membrana que recobre a parte branca do olho. Pode ser bacteriana, viral ou alérgica. Neste vídeo do Conselho Brasileiro de Oftalmologia, você vai conhecer os sintomas, os tratamentos indicados para cada tipo de conjuntivite e os cuidados para evitar o contágio:

O vídeo do Ministério da Saúde, na mesma linha, traz ainda informações sobre a duração da doença e sobre fatores ambientais que podem favorecer o seu surgimento:

A conjuntivite mais comum é a de causa viral. Por meio do livro digital publicado pela Rede de Teleassistência de Minas Gerais e pelo Centro de Telessaúde do Hospital das Clínicas da UFMG, você aprenderá mais detalhes sobre esse tipo de conjuntivite, inclusive suas possíveis sequelas e elementos para um diagnóstico diferencial em relação aos demais tipos:

Cartilha - Clique aqui

04set02

A conjuntivite é mais comum no verão. Neste episódio do podcast “Consultório CBN”, o Dr. Michel Assbu explica o porquê e oferece orientações para você se proteger nessa época do ano:

Podcast - Clique aqui

04set03

 

5º) TRANSTORNOS DA REFRAÇÃO E DA ACOMODAÇÃO

Miopia, hipermetropia e astigmatismo são os problemas de visão mais comuns na população. Neste vídeo de apenas 1 minuto, o Ministério da Saúde explica a diferença entre eles e cita alguns sintomas comuns a esses transtornos, bem como fatores de risco que favorecem o seu aparecimento:

Se você deseja manter a saúde dos olhos e tornar sua visão a melhor possível, siga as importantes dicas contidas na cartilha “O que dizem seus olhos?”, produzida pela equipe de Comunicação e Marketing do Portal Unimed, que vão desde cuidados com a alimentação e com a exposição às telas até o uso correto das lentes de contato:

Cartilha - Clique aqui

04set04

A saúde ocular é um tema sobre o qual há muitos mitos amplamente disseminados, aos quais precisamos estar atentos! No artigo abaixo, o Prof. Edmundo Almeida, oftalmologista que é PhD pela Université de Paris, desmitifica algumas dessas crenças e reafirma verdades:

Artigo - Clique aqui

04set05

Para finalizar, que tal escutar um pouco mais sobre a saúde ocular de um modo geral? O seguinte episódio do podcast “Pausa para Saúde”, produzido pelo Ministério da Saúde, traz diversos relatos de complicações oftalmológicas e dicas valiosas para se proteger contra elas:

Podcast - Clique aqui

04set06